Textos

O fio da meada

08:48 Jamilly Costa 1 Comments


Sei lá, ás vezes tudo me parece tão turvo. Me pergunto constantemente se isso é de fase. Essa confusão toda. Se um dia levantaremos ao amanhecer e todo esse barulho não passará de um ensurdecedor silêncio. E todas as brigas, exaltações, invejas, tristezas, mentiras, disputas, discussões, dores e decepções simplesmente não existirão mais. E então seremos mais sinceros, mais amáveis, mais humanos. Me pergunto se não perdemos o fio da meada, se não esquecemos valores tão importantes e essenciais do ser humano que nos confundimos no calor da emoção de cada vez ser mais, de cada vez ser mais importante, de cada vez ser maior. Veja bem, não estou aqui falando que não devemos progredir na vida, que não devemos ter uma boa formação, um bom emprego, uma boa casa. Estou aqui falando que além de planejar para o nosso futuro um carro na garagem, férias no exterior e celulares de última geração, temos que pensar em quem devemos ser e em quem estamos sendo uns para os outros. Se você aí, realmente gosta de quem é. Ou será que você não pensa em como você age, você fala, você olha, você sente? Afinal, você sabe quem é você?
Sei que existem pessoas que valem a pena o nosso tempo, a conversa, o abraço da gente. Mas a maior parte das pessoas estão tão preocupadas com a roupa do garoto, com a maquiagem da garota, com o celular do outro. E em como, na visão delas, são melhores, são mais interessantes, são mais bonitas, mais estilosas, são maiores. Que acabam se tornando pessoas tão vazias, tão fúteis, tão cegas pelo próprio egoísmo. E então se perdem na tentativa de ser perfeito. Tão perdidas que não sabem nem mais quem são. É tanta vontade de agradar o mundo todo, de chamar a atenção de todos, de ser quem não é. É o que vejo quando olho para a humanidade, se é que podemos chamar assim. E então sei que definitivamente invertemos os valores e nos perdemos na conta, porque diferente da matemática, se alteramos as ordens dos fatores na vida, tudo sairá errado. Sei disso quando vejo tanta falsidade que me dá ânsia, quando aquela pessoa que me critica me abraça e me chama de amiga, quando passo nos corredores deste mesmo colégio e vejo pessoas rirem do menino com sobrepeso, da menina com maquiagem forte, do grupo de amigos que se vestem diferente. Como se existissem regras de personalidade, estilo e aparência que toda a geração deve seguir. E cuidado, se não seguir, você não é bonito, não é legal, não faz parte do grupinho. Me diz aí vai, quando que ser ficou mais importante que viver? Quando que agradar as pessoas ficou mais importante que ser feliz? E se você morresse agora, será que fez o que queria fazer? Será que você foi feliz o bastante? Será que você não perdeu tempo demais com coisas que não valiam a pena? E aquele dia que você estava morrendo de vontade de dançar na festa do colégio e não o fez porque iriam te zoar? E quando você deixou de dizer o que realmente pensava só porque aquela pessoa ia te excluir da rodinha de amigos? E quando viu algo injusto mas não teve coragem de falar nada por medo de não acreditarem em você? E quando você garota, se olhou no espelho e não se sentiu confiante o bastante para passar batom vermelho? Tantos medos causados por estereótipos de gente vazia! Gente que não sabe nem quem realmente são quanto mais as ideias que defendem. Temos tão pouco tempo para fazer tudo aquilo que queremos, dançar na chuva, conhecer outra cultura, se apaixonar, tirar 10 na prova da matéria que odiamos, dizer eu te amo para a mãe, fazer alguém rir para valer. Temos tão pouco tempo para sermos quem realmente somos, para mostrar quem somos e como somos únicos e bonitos do nosso jeito, seja espalhafatoso ou tímido, risonho ou quieto, desbocado ou racional, cada um de nós, negro, branco, amarelo, hétero, homossexual, trans. Todos, todinhos somos únicos e diferentes, sem nunca ser maior que o outro, sem nunca desrespeitar o outro. Já parou para pensar em como isso é incrível? Como Deus (ou o Big Ben) pode ter nos criado tão singularmente humanos. Um desperdício seria se deixássemos de ser. 
Gostaria de fazer todo mundo reverter os valores de volta, porque para mim essa palavrinha de quatro letras MAIS (e me desculpe Língua Portuguesa o quanto vou repeti-la agora) significa muito mais que ser mais que alguém. Para mim significa ser mais compreensível, ser mais humilde, ser mais incentivador, ser mais do que sou, ser mais humano, ser mais feliz deixando o outro em paz.



Obrigada por tudo, espero que tenham gostado.
Me contem nos comentários o que acharam :)
 Beijinhos.



  Acompanhe o blog nas redes sociais:
      Facebook Twitter ♥ Youtube ♥ Tumblr ♥ Instagram ♥ Pinterest  Flickr  Shots

You Might Also Like

Um comentário:

  1. Oi linda,
    Lindo texto !
    Também sou de PE, moro em Recife.
    Beijos U&B
    Adriana
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    Instagram @blogunhasebocas
    https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

    ResponderExcluir

Espero que você comente sua opinião! É muito importante para mim!
° Sem o típico "seguindo, segue de volta?", comente algo sincero sobre o post primeiro, depois avise que está seguindo.
° Respondo todos os comentários.
° Retribuo todos os comentários.
° Sigo todos que me seguirem!
° Vou lhe tratar da mesma forma que você me tratar ;)
Obrigada! Volte sempre!